OS CÃES DO CAMINHO (Conto coletado e editado por Mario Roso de Luna)

O presente conto é extraído das “Parábolas e símbolos” colecionados por Mario Roso de Luna, na sua interessante obra “Por el reino encantado de Maya”. [Nota da Revista DHÂRANÂ 18-20 de Junho de 1927]

Dois famosos corredores disputavam um grande prêmio nas corridas públicas. O esforço que para vencer eles tinham que realizar, era grande e a distância enorme. Um deles, o que desde o começo havia tomado uma grande dianteira ao outro, viu-se detido, de improviso, por uns cães de gado, que com agressiva atitude, tratavam de lhe cortar o passo.

Nosso homem, indignado ante tamanha contrariedade, se deteve a fazer frente aos cães e começou a persegui-los a pedradas, fazendo pelo que se vê, demasiado caso aos seus latidos. Porém, o outro mais avançado corredor, em lugar de parar para afugentar os cães, deixou-os de parte, fazendo um grande rodeio, com o que pode chegar em primeiro lugar à meta desejada. Quando volvia triunfante, ainda teve tempo de ver seu contendor lutando a pedradas com os cães do caminho.

Em busca de um ideal qualquer, quem será o insensato para fazer caso dos latidos da inveja? Se os atende, estará perdido…

Não há necessidade de comentário. Esta fábula se comenta por si mesma.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.